(Em atualização) MINI GUIA IMPORTAÇÃO DE SMARTPHONES E DÚVIDAS – SERVE PARA OUTROS PRODUTOS, PRINCIPALMENTE ELETRÔNICOS

Fala aí galera, beleza? Bom, espero que sim.

Hoje gostaria de compartilhar com vocês minha experiência de compra nos sites, bem como minhas impressões, mostrar alguns detalhes e bater um papo sobre importação. Fico à disposição para responder quaisquer dúvidas, lembrando que não sou nenhum expert, mas tento sempre aprender mais sobre o assunto.

A BUSCA:

Iniciei a jornada em julho do ano passado (2016). Demorei basicamente 3 meses para decidir qual aparelho queria e acabei pegando um flagship e pagando caro, rs. Disso, tiro a primeira conclusão: é importante ponderar os prós e contras, mas não demore tanto, pois as tentações são enormes. Isso também se deveu a devorar tutoriais – vocês entenderão abaixo -, leis, termos, reviews, comparativos, vídeos, etc.

Comprar um aparelho da China envolve diversos fatores, sendo que alguns serão tratados em partes específicas.

Em primeiro lugar, vocês precisam saber o que a lei diz, o que a loja diz e ter bastante vontade de pesquisar.

– A LEI:

Para resumir a história, os impostos são cobrados em até 60% do aparelho e mais ICMS para alguns estados, tais quais MG, SC, RS e creio que alguns do Nordeste.

Até o dia 25/01/2017, os aparelhos eram taxados sob uma taxa padrão, que era baseada no valor de $100, porém a partir dessa data mudou, sendo baseada agora a partir de $200. Ou seja, 60% de $100 antigamente dava em torno de R$200 – variando com o preço do dólar – e agora dobrou, chegando a uns R$395 praticamente. Há ainda a taxa de despacho postal – que é um absurdo e é possível recuperar via processo – de R$12 cobrados pelos Correios.

Caso os tributos superem os 60% previstos, é possível pedir revisão deles nos Correios, o que pode demorar menos de uma semana (raro) a meses (média de 2 e cheguei ver a máxima de 5), entretanto, há um prazo máximo definido de 30 dias úteis, então se passar disso cabe algum tipo de medida legal.

Para aparelhos – ou produtos em geral – abaixo de $100, não deveriam ser cobradas nenhuma taxa, só que a Receita Federal (RF) não respeita isso, passando por cima de uma lei. Então para conseguir a isenção, é preciso processar tanto ela – a RF – quanto a ECT em um Juizado Especial Federal (JEF), é causa ganha, uniformemente pelos juízes, sendo um tempo comum de 6 meses para o trâmite.

– A LOJA:

Leiam todos os termos de cada loja. Isso facilita um bocado para saber a respeito de prazos, garantias, reembolsos e respostas para as perguntas frequentes.

Muitas lojas têm “plano fidelidade”, em que lhe dão pontos conforme vão gastando e com isso é possível abater nos valores dos produtos.
A maioria oferece a oportunidade de ser um afiliado, ou seja, você gera um link com sua referência e a partir daí pode até ganhar produtos gratuitamente ou abater seus valores.
Algumas já estão parcelando via cartão de crédito nacional por meio do Ebanx, o que configura, portanto, uma compra nacional e você só precisa pagar um IOF de 0,38%, assim como no boleto. A maioria também aceita Paypal, o que lhe dará maior segurança se precisar de um possível reembolso, mas pagará um IOF de 6,38%.

A loja que escolhi – Gearbest – é uma das mais conceituadas lá fora, com um dos melhores atendimentos e, na minha opinião, a com melhor garantia no momento desse post.

– GARANTIA:

Será tratado mais no final, mas saibam que há, sim, garantia concedida pela loja e que NÃO É OBRIGATORIAMENTE NECESSÁRIO ENVIAR O APARELHO DE VOLTA A CHINA PARA CONSEGUI-LA, o que é muito importante deixar claro.

Agora que eu acabei essa enumeração, voltemos a busca do aparelho.

Eu queria pegar inicialmente um aparelho intermediário porque não tinha dinheiro. Havia muitos na época, mas o CxB estava centrado no Redmi Note 3 Pro, um excelente aparelho até agora, que está custando entre R$480 a R$600. Consegui, no entanto, uma grana e então poderia expandir os horizontes.

O APARELHO

Em segundo lugar, uma dica que peguei de um canal no YouTube e sou grato até hoje pelo seu dono – Flávio – ter me ajudado: determine seu perfil, por exemplo, se quer o aparelho para produtividade, autonomia, desempenho, jogos, fotografia, se o tamanho da tela é importante, etc.

ROM

Fiquei em dúvida sobre onde colocar esse tópico. Resolvi colocar entre o aparelho e as impressões porque tem a ver com os dois, mas sei lá…

Existe muitos aparelhos chineses que a troca de rom se torna necessária, praticamente obrigatória. Não é o caso da Oneplus, no entanto.

Gostaria de introduzir o tema porque pode ser um fator decisivo. A grande maioria dos Xiaomis – uma das marcas mais conhecidas -, é preciso trocar. Os Zuks – citados por aí – também. Então é um fator a se considerar na compra e um dos que mais necessita pesquisa.

Não é um procedimento difícil e existe um imenso conteúdo internet a fora. Mas é bom deixar claro que pode ocorrer vários bugs no procedimento, então não é recomendado para usuários leigos/básicos, mas, claro, tudo se resolve com pesquisa e vontade, o que entra nos prós e contras.

Eu, por exemplo, não gosto da interface e nem da rom dos Xiaomis, logo eu troco (trocaria). Eu sugiro que pesquisem para saber se vocês gostam, pois a situação está se alterando, mas EU acho a marca mais chata para se trocar a rom, das que EU tive contato.

E por quê precisa trocar a rom? Alguns aparelhos são voltados para o mercado chinês, então vêm com “lixos eletrônicos”, roms altamente customizadas (chamadas Shop Roms, análogo aquelas roms de operadoras, mas piores em minha humilde opinião), Play Store faltando, bugs no sistema, entre outras coisas. Há relatos ainda de malwares, Keyloggers, etc, o que não posso provar, mas dado os recentes casos de espionagem mostrados em reportagens, não duvido deles. Resumindo: ao chegar o aparelho, verifique se há algo errado, caso haja, simplesmente troque a rom.

VALE A PENA IMPORTAR?

Demais galera. Apesar do S7/E ser um belíssimo aparelho e uma boa opção nacional, o desempenho do OP3 me assustou, nenhum na época realmente chegava perto, não só pelos benchmarkings – esqueçam isso, é só um jogo de quem faz mais pontos -, mas sim pela sua usabilidade, fluidez.

Tenho uma ressalva, no entanto: cito no vídeo que só vale a pena comprar um flagship se você quer experimentar um top de linha ou simplesmente precisa ou quer. Mas mudei meu conceito, por dois motivos: aprendi a economizar (o aparelho já estava valendo $400, dólar abaixou e não pagaria mais IOF tão alto, o que resultaria hoje em uma economia de R$500) e a nova taxa padrão (agora sim compensa comprar aparelhos caros).

Para smartphones em torno de $120, eu não importaria mais. A não ser que você mande declarar o valor real ou tenha paciência para solicitar revisão de impostos.

Recomendo hoje em dia no mínimo um Redmi Note 3 Pro, Redmi 4 Pro, Redmi Note 4 prime, K6000 pro e o queridinho (inclusive comprei um): Lenovo Zuk Z2, que possui o mesmíssimo Snapdragon 820, 4gb de ram, 64gb interno (porém mais lento) e dual chip por apenas $189 (ou, no meu caso, R$621 parcelados em 5x sem juros). Se quiser pagar ainda menos na taxa, é possível pedir revisão.

Para smartphones abaixo de $100, é quase certeza que serão taxados do mesmo jeito, entretanto, é possível pedir revisão para diminuir o valor do imposto e depois entrar com processo para reaver toda a taxa paga.

Se quer um alto lucro com a revenda, talvez não seja aconselhável, no entanto. Se quer vender somente à vista, também pode ser um problema.

RISCOS DE UMA IMPORTAÇÃO

Atualmente, em minha opinião, há dois riscos: 1) o aparelho chegar com defeito, o que é caracterizado como DOA, explicado mais abaixo; e 2) ser extraviado no fluxo postal, que deverá ser reembolsado pela loja. Lembrando que para o segundo caso, você até deve ir atrás dos fatos, mas a resolução se dará com a loja, então insista com eles, mesmo que seja difícil para entender o porquê disso ocorrer – segundo amigos meus, inclusive advogados, cabe até processo contra a ECT.

Há outro fator, mas que não considero bem risco. Explico: é a sobretaxação. Não importe mais de um aparelho no mesmo pacote/pedido, pois poderá configurar revenda e aí a RF taxa sem dó.

Obs.: é mais fácil o aparelho ser liberado sem tributação do que ser sobretaxado, a menos que você tenha comprado em quantidade.

PARCELAMENTO

Há já algumas lojas que parcelam: Dino Direct, DX, Banggood e Gearbest. Essas duas últimas começaram agora e, por isso, estão parcelando sem juros por um tempo determinado. A Banggood termina dia 14/01 e a Gearbest no final de fevereiro.

O parcelamento conta como uma operação nacional e, portanto, paga-se apenas um IOF de 0,38% igual o boleto. Ou seja, lançado o valor uma vez no cartão, será contabilizado o dólar do dia/momento e será um valor fixo/imutável pelo resto das parcelas.

GARANTIA

Um ponto muito importante a se desmitificar. Os aparelhos da China TÊM GARANTIA SIM! E dependendo a loja é de 1 ano. Até lojas do Aliexpress oferecem garantia, às vezes.
É um pouco burocrático, mas dado as experiências que estou lendo, que amigos estão passando, diria que é até melhor que a garantia do Brasil.

E como funciona? Basicamente, há essas opções:

1) você envia o aparelho de volta para a loja (custo por sua conta, em torno de uns R$120) e eles o reembolsam totalmente, reenviam outro aparelho ou consertam e reenviam;
2) a loja lhe reembolsa parcialmente, caso o problema do aparelho não comprometa totalmente seu uso;
3) você faz cotações no Brasil e os envia para a loja, aí caso aceito, eles pagam o conserto para você;
4) em poucos casos, em que não compensa nada, você fica com o aparelho estragado e eles lhe devolvem o dinheiro; e
5) a loja lhe envia as peças e dá um pequeno reembolso referente a mão de obra.

E é claro que, para isso, você precisa provar que o aparelho está com defeito, com fotos, vídeos, o que mais conseguir e talvez até um laudo/relatório técnico.

NOVA TAXA PADRÃO DA RECEITA FEDERAL

Como supracitado, a nova taxa padrão sobre smartphones – aquela referência para os fiscais da RF – é 60% sobre $200, ante $100.
Essa taxa padrão se deve ao fato do alto fluxo postal, o qual a RF ainda não tem o controle para averiguar todas as encomendas uma a uma, então essa instituição estabelece padrões para que facilite a taxação dos produtos passados por um raio-x. Sendo, assim, não há meios para burlar tal taxa, o qual pode ocorrer, mas por pura sorte, loteria, de um lote não tributado.

Lembro-lhes ainda que a solicitação de uma declaração do valor menor para qualquer produto ou uma possível tentativa para burlar a RF é configurada uma prática criminosa, não recomendável, portanto, e podendo ser “recusada” pela loja. Eu ou o local em que este foi postado não se responsabilizará por tal ato e nem o recomenda ou apoia.

CONSIDERAÇÕES DA GARANTIA E ENTREGA

1) existe o chamado DOA (Dead On Arrival) que é um período de 3 dias a partir da data de entrega, no qual você verifica se o aparelho chegou corretamente e sem defeitos de hardware, pois se for constado algum problema, será muito mais fácil conseguir a garantia.
2) existe seguro na maioria das lojas – e naquelas em que se paga separadamente, é muito recomendável que se “contrate” -, se você não receber o aparelho em uma determinada quantidade de dias, você recebe reembolso total ou reenvio.
3) não compre um smartphone sem rastreio. Há bastantes “sumiços” no fluxo postal. Para se ter noção, algumas lojas, tal qual a Banggood, nem oferecem essa opção. Há pessoas que vão receber os produtos após 3, 5, 7, 9 meses ou anos (!).
4) caso você precise enviar o aparelho de volta a China para garantia e possível recebimento de um novo ou do próprio consertado, poderá reincidir taxas. É possível conseguir um documento legal dizendo que é uma saída temporária, mas, sinceramente, não sei como funciona e acho que é difícil consegui-lo.
5) você pode desistir do aparelho ao chegar no país, entretanto, as lojas não costumam reembolsá-lo totalmente, podendo cobrar a taxa do transporte e/ou uma taxa de uns 15% do valor pela desistência. É importante ressaltar que essa prática não é recomendada e que isso pode nos tornar mal vistos lá fora, além de interromper o envio para o país, como já ocorreu com algumas lojas.

MINHA RECOMENDAÇÃO SOBRE IMPORTAÇÕES

Pesquise, pesquise e tenha vontade pesquisar. Só compre um aparelho contando com todas as taxas incindíveis (60%, IOF, mais o ICMS caso seu estado possua) para não haver surpresas e saber se compensa.
Digo-lhes que tanto para importação pessoal como revenda, ainda compensa se fizer as contas corretamente e pesquisar o mercado nacional.

GRUPOS NO FACEBOOK, SITES E FÓRUNS

Há muitos grupos e sites por aí com um vasto conteúdo acerca de importações ou do aparelho específico que você quer, então sugiro que vá atrás deles.

Um grupo que recomendo é o Operação Pega Leão. Nele você poderá ver as experiências das pessoas em seus processos e pedidos de revisão, bem como pegar modelos de petições prontas, assistência na solicitação e adquirir conhecimento.

Porém, é válido lembrar que você precisa pesquisar bastante, pois há vários modelos de petições, então um conhecimento mínimo se torna obrigatório para vocês saberem se tem algo errado, se é boa, etc.

MINHA RECOMENDAÇÃO DE APARELHOS:

– Custo x Benefício, marca, construção, revenda: Redmi Note 3 Pro, Redmi Note 4 Prime, Redmi Pro, Redmi 4 pro.
– Custo x Benefício Alto, desempenho, jogos: Zuk Z2 (por ser um dos queridinhos atualmente, a revenda é boa e é a melhor opção para quem gosta de telas mais pequenas, uma vez que ele possui 5″).
– Custo x Benefício desempenho, jogos, etc: Le Max 2, Le Pro 3
– Custo x Benefício câmera: Mi5.
– Custo x Benefício conjunto: Oneplus 3T.
– Melhor bateria: K6000 Pro ou K10000.
– Melhor som: ZTE Axon 7.
– Melhor câmera: Mi5s.
– Design: Mi Mix, Honor 8, Mi5 Pro.

MINHA RECOMENDAÇÃO DE LOJAS:

Queria deixar bem claro que, infelizmente, não estou sendo patrocinado por nenhuma das lojas citadas – aliás, fica a dica aí, “paga nóis”.

– Gearbest
– Banggood
– Geekbuying
– DX (DealeXtreme)
– Everbuying
– Tinydeal
– Dino Direct
– Light In The Box (recomendada, porém cuidado: ela declara o valor real da compra sem espernear)

Eu nunca comprei, mas vocês podem dar uma olhada na loja Topmall que vende a partir do Aliexpress. Ela vez ou outra possui estoque no Brasil e envia por meio do Sedex. Os valores são mais altos que o normal, pois se deve ao fato de já terem pagado o imposto, então é uma boa alternativa para quem quer um aparelho da China rapidamente. A desvantagem é que eles não têm estoque grande e nem variedade, ficando mais nos intermediários da Xiaomi. Talvez no Mi5.

SUGESTÕES E CORREÇÕES

Aceito sugestões para incrementar o texto e, caso vejam algum erro ortográfico ou gramatical, conto com sua colaboração para a correção.

DIREITOS AUTORAIS:

Esse conteúdo foi postado apenas nesse meu blog de maneira completa. Será modificado para ser postado em outros lugares por mim mesmo.

Não é permitida a cópia total ou parcial sem os créditos de apenas o local citado acima – ou seja, este site.

DÚVIDAS

Encerro o post abrindo o espaço para dúvidas. Como disse acima, não sou nenhum expert, mas importo da China e de outros países há anos. Comecei a importar aparelhos para uso pessoal e estou prestando “consultoria” para uma loja importar legalmente para revenda e também ajudando pessoas a importar para uso próprio. Caso tenha interesse, pode visitar também o grupo de promoções no Facebook. Isso faz com que eu precise pesquisar bastante, não só o mercado, leis, alternativas, como também os aparelhos e faz com que eu teste eles.

Enfim, qualquer dúvida, estamos aí. É só postar que eu tentarei respondê-los, mas fiquem a vontade para responderem os colegas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *